DA SOMBRA À LUZ

Atualizado: 28 de fev. de 2021

A Artista e a sua Arte: uma longa jornada de volta para casa.

Mile Puli é o codinome artístico desta pisciana, de alma inquieta que viu, na Arte, um caminho para expressar toda a sua sensibilidade e talento criativo, até então, adormecidos.


Uma longa jornada de volta a sua essência que começa, no extremo oposto, em 2002. Advogada, recém-formada, decide romper com o Direito - campo altamente mental, burocrático e moroso - para ir em busca de algo mais criativo, prazeroso e dinâmico.


Ainda sem rumo certo, uma oportunidade no universo fascinante da moda e posterior encontro com a excelência do mercado de marcas internacionais, somados ao seu natural apreço pelo belo e alta qualidade, a fizeram atuar neste ramo por muitos e muitos anos.


Contudo, com o passar do tempo, a alta competitividade dentro do corporativo, a constante pressão para entrega de resultados comerciais e excessivo trabalho analítico presente em cargos de alta gestão, a levaram a um completo burnout. Estava, assim, instalada a crise de identidade e propósito de vida, obrigando-a a parar e ouvir o chamado da sua Alma que, há muito, ansiava por uma vida mais artística e livre.


Neste momento, ainda sem ter plena consciência disso, a Arte foi vista apenas como meio, uma terapia para aliviar as tensões e stress da vida profissional. De cara, pintou 41 telas, dos mais variados estilos e tamanhos. Algo que começou de forma muito despretensiosa e que, já na primeira obra, deu sinais de surpreendente familiaridade, até então, desconhecida.


Num processo totalmente autodidata e experimental, enquanto seus cinco sentidos tocavam o tangível, sua intuição se rendia ao invisível, criando assim uma ponte entre dois mundos opostos, cuja travessia requereu coragem, entrega e muita transformação pessoal.


O prazer e a alegria genuína sentidos durante todo o processo criativo a fizeram voltar, pouco a pouco, para a sua essência - artística, sensível e criativa, há muito sufocada por tantos anos de vida corporativa, deveres e obrigações afins. De volta para casa, sua vida ganha um novo sentido e um colorido especial.


O estilo livre e abstrato viria ao encontro da sua inata rebeldia, curiosidade e desejo de se expressar com total liberdade. E a cada obra finalizada, o novo expressado; seja em uma técnica inovadora, seja na alquimia das cores ainda não usadas.


Do suave ao impactante; do colorido ao preto e branco, suas obras possuem um único traço : personalidade. A artista pensa grande e deseja que suas obras ganhem o mundo, pois foram concebidas para elevar o estado vibracional daquele que a aprecia, nem que o faça por uma breve fração de segundo, pelo simples fato delas falarem a língua universal: a do amor.


True Colors

to One´s Heart

Freestyle para todos os Estilos!

 

Gostou? Compartilhe! Deixe seus comentários.

Até nosso próximo post!