ARTE e ILUMINAÇÃO caminham lado a lado



Você sabia que iluminar adequadamente uma Obra de Arte pode fazer toda a diferença do mundo quando se trata de exibi-la?


Usada para uma exibição elaborada ou apenas para dar um destaque suave e sutil, a iluminação foi feita para colocar sua arte no centro do palco!


A pintura que o atraiu pode não ter o mesmo efeito se estiver banhada por sombras ou iluminada em excesso pela luz natural do sol.


Mas com técnicas de iluminação adequadas, sua Obra de Arte ganha novas cores e camadas sutis ficam em evidência, proporcionando experiências visuais que você raramente teria se sua Arte estivesse exibida num ambiente escuro ou com iluminação inapropriada.



A principal preocupação ao escolher a iluminação adequada é determinar quais condições preservarão melhor a obra de arte. As preferências estéticas devem ser uma consideração secundária.


Escolhas de iluminação agressivas podem frequentemente causar danos por calor e luz, muitas vezes resultando em distorção permanente da cor e curta longevidade da Obra.


Por isso, aqui vão algumas dicas:


. Evite exibir Arte sob luz solar direta.

A luz ultravioleta e a radiação infravermelha podem causar desbotamento.


. Não permita que a luz fique diretamente de frente para a Arte.

Isso protegerá sua arte contra danos causados ​​pelo calor. Para testar possíveis danos causados ​​pelo calor, coloque a mão entre a obra de Arte e a fonte de luz. Se você sentir o calor da luz é porque a fonte de luz está muito próxima e, provavelmente, muito quente.


. Evite iluminação fluorescente

Ela emite um alto nível de energia ultravioleta, que acelera o desbotamento das cores e distorce a cor da obra de arte. LEDs são sempre uma boa opção, ainda mais se houver pouco espaço disponível entre a arte e a fonte de luz. Disponíveis em temperaturas de cor quentes e frias, possuem uma longa vida útil e emitem pouca radiação ultravioleta e calor.


Em geral, a iluminação para obras de Arte é três vezes mais brilhante do que o resto da iluminação da sala. Isso pode ser conseguido usando a intensidade ou ambiente apropriado.


Ao iluminar uma obra de Arte, o ângulo padrão sugerido para a luz é de 30 graus. Isso reduzirá qualquer brilho ou refletância e cobrirá a obra de arte com luz suficiente. Para evitar projetar sombras com uma moldura maior, você ainda pode adicionar 5 graus ao ângulo. E, se quiser acentuar a textura de uma pintura, subtraia 5 graus.


Observe como a diferença na iluminação pode ressaltar os detalhes mostrados no Quadro Mile Puli HIDDEN BEAUTY.



Traços e nuances mais sutis ficam em evidência apenas com a aplicação correta da luz natutal do sol, cuidadosamente usada de forma indireta.


Esse mesmo efeito, você também pode conseguir usando uma iluminação indireta artificial.


Lembre-se de que, no final das contas, assim como a própria arte, a iluminação estética fica sujeita ao critério e gosto de cada colecionador.


Até o próximo post!


Gostou? Comente. Compartilhe!


iluminação, sua arte sempre será projetada com a melhor luz possível.